A importância do marketing jurídico no mundo moderno

A globalização tomou conta do mundo moderno, as informações correm e repercutem com grande facilidade e, na esfera empresarial, isso pode ser bom ou ruim. Se tornar conhecido agora é fácil, mas ser copiado também. Com isso, a quantidade de empresas que podem entregar o mesmo serviço torna-se cada vez maior e conquistar seu espaço no mercado torna-se cada vez mais difícil.

Do outro lado, os consumidores estão cada vez mais exigentes. Alguns preferem preço, outros, qualidade e alguns, até mesmo, diferenciação e exclusividade. Por isso, o marketing tomou conta das novas relações de comércio e é com ele que conseguimos entender mais o perfil social e demográfico dos consumidores, podendo atender mais especificadamente seus desejos e necessidades.

Isso vale até para os mercados mais tradicionais, como as advocacias. A quantidade desses escritórios abertos no mundo é extremamente alta e esse número não para de crescer.

Como se destacar em um mercado que muitas vezes é visto como tradicional e saturado?

É para isso que surge o marketing jurídico! O ambiente tornou-se tão competitivo que é impossível não aplicar o marketing em seu negócio.

Devemos manter a tradicionalidade, mas isso não significa deixar de inovar. Se você não se adaptar às mudanças de um novo mercado e de um novo comportamento do consumidor, os resultados serão totalmente prejudiciais.

Essa mudança está nos pequenos detalhes, são estes que fazem uma grande diferença na satisfação de seus clientes: a forma de atendimento, o vestuário, materiais institucionais que fornecem a máxima quantidade de informação, produção de conteúdo relevante, projetos sociais, melhoria nos canais de comunicação, um site bacana e até mesmo o engajamento em suas redes sociais.... É preciso estruturar seu negócio, mostrar seus diferenciais, agradar seus clientes e estabelecer um posicionamento sólido.

O marketing jurídico leva em consideração duas vertentes muito importantes para o mercado: a fidelização de seus clientes, que ocorre por meio da máxima satisfação desses, a fim de diminuir as chances da procura de um novo escritório; e também a prospecção de novos clientes, que muitas vezes ainda não haviam necessitado de um serviço jurídico ou estão insatisfeitos com o serviço prestado por outro escritório.

Todavia, é preciso tomar todo o cuidado, pois toda atitude precisa estar dentro do código de ética estabelecido pela OAB, pois, caso não esteja, o que era para ser benéfico poderá ser prejudicial.

Artigo escrito por Isabella Bonato Antonio, ex-responsável pela área de marketing do escritório Pazzoto, Pisciotta & Belo Sociedade de Advogados.

Publicações mais recentes

TRT de Campinas/SP confirma demissão por justa causa por conta de postagens difamatórias no Facebook
Trabalhista
Tribunal Superior do Trabalho dispensa empregadores de controlar jornada de trabalhador